29/07/2010

Duas noticias: uma boa, outra ruim

Oi gente, estou de volta com duas notícias: uma boa, outra ruim. Demorei para voltar aqui, né? Reclame com meu pai. Já estou até pensando em contratar outro redator, menos ocupado. Mas, tudo bem, desta vez passa.

Ah! As notícias! A boa é sobre minhas poltronas. Tenho duas, uma no escritório de meu pai e outra em meu quarto. As poltronas foram de minha bisavó e devem ter uns cem anos. Coisa boa, de molas e tudo mais. É nelas que passo a maior parte do tempo.

O problema é que as poltronas estavam um verdadeiro nojo. Elas eram cobertas de um tecido de cor lisa e só de olhar para elas já manchava. Além de pegar mal para um garotão como eu (o tecido era cor-de-rosa), costumo engatinhar pela casa e por isso minhas mãos nem sempre estão limpinhas. Eu fatalmente acabava limpando as mãos nos braços das poltronas.

Além disso, tenho algum problema com líquidos. Um é a saliva, que tenho o péssimo hábito de ir juntando dentro da boca. Na maior parte das vezes eu engulo, mas às vezes esqueço e, se dou uma risada, ela sai como esguicho de lava rápido. Chuáááááá!

Outro problema líquido é na extremidade oposta. Sabe como é, nem sempre dá para segurar aquele xixizinho. É raro, mas já aconteceu algumas vezes. Aí precisa lavar o assento da poltrona, secar e coisa e tal. Antes que me pergunte, só colocam fralda em mim para dormir, porque consigo me controlar durante o dia. Ou quase.

Aí já pode imaginar o resultado. Poltronas de tecido claro, liso, recebendo saliva e xixi de vez em quando... um nojo! Então meu pai e minha irmã escolheram um tecido super bacana, azul petróleo bem escuro, tipo xadrez em tons da mesma cor com uns apliques pequenininhos e branco e marrom. O tapeceiro cobriu e ficaram lindonas como eu!


A notícia ruim? Torci o pé. Chato, né? Agora não posso me apoiar para ficar em pé segurando em algum lugar na hora de sentar na privada, tomar banho ou mudar de lugar. Até descer da poltrona e engatinhar eu não posso.

Resultado? Meu pai me abraça, levanta, coloca na cadeira de rodas, me abraça, levanta, tira, abraça, levanta... O bom disso é que estou sendo abraçado mais vezes do que o normal. Vou ficar por aqui, mas antes quero mandar para você aquele abraço.

Portadores de Necessidades Especiais
ROBERTO BOLONHINI JUNIOR

Ao utilizar uma linguagem clara e simples, o autor explica as leis e os direitos garantidos aos portadores de deficiência. É uma obra de referência que traça o perfil dessas pessoas e aborda sua interação social, além de apontar os meios judiciais de sua tutela ou proteção. O conteúdo certamente despertará a cidadania das pessoas e ajudará na resolução de problemas convivenciais enfrentados pelos portadores de necessidades especiais. Único livro do mercado que esclarece tudo o que a legislação brasileira oferece de benefícios a portadores de necessidades especiais e seus familiares.
 

3 comentários:

Reinaldo Takeo Nagata disse...

Mario você é uma cara incrível! Que Deus esteja sempre presente em seus momentos, na sua vida por todos os seus Dias, que espero seja milhões.

Linete disse...

Outro dia vi vc e seu pai em um supermercado da cidade e quase cheguei perto para poder abracá-lo
e dizer que sinto um grande alívio na alma em conhecer(virtualmente). esta maravilhosa família, e ainda poder acreditar nas pessoas. Mas me contive, porque pensei em não incomodá-los. Enfim, vai aqui meu abraço virtual.
Li.

Mariana Hart disse...

Tenho um filho PC de 3 aninhos e tô encantada com o blog,com tamanha sensibilidade!Parabéns!

Postagens populares