19/04/2011

O ovo de Jeremias

Nesta época do ano é impossível meu pai não se lembrar do Daniel, quando vai ao supermercado. Danielzinho foi morar com Jesus em 1998, depois de ficar doente por alguns anos. Ele era fã de videogames e, um dia, ao entrar com sua mãe em um desses túneis de ovos de Páscoa num supermercado, olhou para a mãe e disse radiante: "Mamãe! Passamos de fase!"


A história de hoje é de outro garotinho que, assim como Daniel, já passou de fase. A história foi escrita por Ida Mae Kempel, mas vou contar do meu jeito.

Era uma vez um garotinho especial como eu, que tinha muita dificuldade para aprender. Sua professora se irritava com isso e também por ele ficar se contorcendo na carteira e dando uns grunhidos esquisitos. Seu nome era Jeremias e sua doença o fazia definhar. Ele não iria viver muito tempo.

A professora queria que ele fosse para uma escola especializada, mas não havia nenhuma por perto. Sabe como é, ela se preocupava com os outros 18 alunos da classe que se distraíam com as esquisitices do Jeremias. Com doze anos, ele era alguns anos mais velho que as outras crianças e nem tinha aprendido a ler!

Um dia a professora contou para seus alunos a história de Jesus. Falou de como nasceu e morreu numa cruz em nosso lugar. Mas, se Ele ficasse morto, não haveria esperança para ninguém, então Ele ressuscitou, isto é, voltou a viver para nunca mais morrer. A professora disse que quem crê nEle, ainda que morra, também viverá. Ela explicou que isso se chama ressurreição.

Para gravarem bem a história, ela deu um ovo de plástico para cada um, desses que vêm com um brinquedinho dentro. Só que aqueles estavam vazios e a professora queria que cada criança trouxesse dentro alguma coisa que simbolizasse morte e ressurreição. Será que o Jeremias entendeu? A professora achou que não.

No dia seguinte a professora foi abrindo um a um os ovos que as crianças trouxeram, e explicou o significado do que encontrou dentro. No primeiro havia uma florzinha e ela explicou que a flor só nasce depois que a semente morre. Um bom exemplo de morte e ressurreição.

No outro havia uma borboletinha de plástico. A professora explicou que a borboleta só surgia depois que a feia lagarta dormia e se transformava. Era como se morresse e ressuscitasse mais bonita. Outro ovo trazia um pouco de musgo, que foi interpretado como vida surgindo na pedra morta. O ovo de Jeremias ela abriu, fechou e colocou de lado.

- A senhora não vai falar nada de meu ovinho? - perguntou Jeremias.

- Mas, Jeremias, seu ovo está vazio! - respondeu a professora desapontada.

- A senhora não disse que o túmulo de Jesus estava vazio? - justificou Jeremias.

A professora gelou.

- Você sabe por que estava vazio, Jeremias?

- Claro, professora. Jesus morreu e foi colocado lá, mas ressuscitou, do mesmo jeito que vai acontecer comigo! - explicou Jeremias com um brilho nos olhos.

Três meses depois Jeremias morreu. As crianças foram ao velório e foram elas que explicaram para seus pais o que significava a cestinha que tinham colocado no caixão. Com 19 ovos vazios.

5 comentários:

EVANGELHO DE JESUS disse...

Muito Lindo,essa estória me emocionou,Parabéns por esse Blog...

sandra disse...

Quando a gente pensa q aquela criança não entendeu nada é justamnete ela que naos da a amior lição. Beijos Pedrinho

Brisa disse...

Uma história p ler sempre! É sempre muito bom vim por aq!!! Tudo de bom p vcs!
Luiza

Rubens Campos disse...

Amei, Pedro. Minha filha Bruna passou de fase em 1989, aos 3 caminhos, devido a leucemia mieloblástica. Como disse Davi, se não a pude reter aqui, certamente irei ao seu encontro, pois confiamos naquele que nos prometeu a vitória sobre a morte, nos dando de graça, sua vida eterna

Fatima Jesus disse...

Linda história,por vezes as crianças surpreendem-nos.

Postagens populares