09/05/2012

Para ingles ver

Que minha irmã escreveu um livro do qual eu sou o tema você já está cansado de saber. Mas o que você não sabe é que ela agora está traduzindo o livro para o inglês. Isso mesmo, para inglês ver! Agora que fiquei internacional acho que vou começar cobrar a visita ao meu blog em dólares... eh! eh! brincadeirinha....


Ela por enquanto só está traduzindo e meu pai ajuda a revisar o texto em inglês (como se ele soubesse muito inglês...). Eu só não gostei de publicar os textos em doses homeopáticas em um blog que não é exclusivamente a meu respeito, mas sobre criação de filhos em geral. Tudo bem que eu esteja me sentindo um pouco genérico com isso, mas é melhor que nada.

Se você já passou da fase do "the book is on the table" vai conseguir ler o texto em inglês no blog de minha irmã neste endereço: www.simpom.com

Quem sabe depois ela decide publicar em formato de livro impresso sob demanda e também digital, em um e-book com o texto completo. Mas acho que ela precisa fazer isso logo, ou as grandes editoras norte-americanas podem começar a brigar pelos direitos de publicar o livro, transformar em filme, lançar uma grife com meu nome... já viu né? Esse pessoal gosta de faturar em cima de gente famosa, e eu sou famoso. Pelo menos aqui em casa eu sou!

Já que no próximo domingo é dia das mães, quero aproveitar para deixar um beijão bem grandão para todas as mães, principalmente as adotivas. Eu sei que tem mãe que vai chiar porque acha que mãe adotiva não vale, já que não sentiu dor de parto, mas eu acho que elas também merecem ganhar os parabéns nesse dia. Afinal, não teve a dor de parto, mas todas as outras foram iguais: preocupações, doenças da infância, bumbum para limpar, mamadeira para preparar... acrescente o que quiser.

Agora até o INSS decidiu corrigir uma injustiça no caso da adoção, porque antes as mães adotivas eram vistas pelo governo como passageiras de segunda, ou seja, aquelas que não chegaram em tempo para aproveitar os benefícios dados na hora em que a criança nasce. Agora a Justiça Federal determinou que o INSS garanta salário-maternidade de 120 dias para mulheres seguradas pela Previdência Social que adotarem ou obtiverem a guarda de criança de qualquer idade.

Antes disso as mães que adotavam crianças entre um e quatro anos recebiam o salário-maternidade por 60 dias. Crianças entre quatro e oito anos davam direito a 30 dias do benefício à mulher. A decisão elimina as diferenças para os novos casos de adoção e obriga o INSS a prorrograr os salários em vigor.

Para o juiz Federal Marcelo Krás Borges, da 1ª Vara Federal de Florianópolis, "se o pai ou a mãe passar o dia no trabalho e não der a acolhida e o carinho necessário nos primeiros meses, é possível que a adoção não tenha sucesso, ficando o futuro da criança adota perdido". Para o MPF, a mudança era necessária porque "quanto maior a criança maior a dificuldade de vinculação e adaptação". (Extraído do site Último Segundo)

Sabe o que me ocorreu? Quando meus pais me adotaram eu tinha quatro anos de idade e eles nem sabiam que existia algum tipo de benefício para pais adotivos. Já pensou se agora que estou com 30 anos eles descobrem que têm direito ao benefício, tipo sorteio da sena quando fica acumulada?!

Um comentário:

kati disse...

Gosto muito de visitar este blog. Além da história de vida de vocês ser linda, há sempre um bom humor em todos os textos postados. Parabéns!

Postagens populares