28/04/2021

Tempo de despertar

O que você sentiria se fosse dormir e só acordasse 30 ou 40 anos depois? Seria a mesma pessoa? Se lembraria de alguma coisa? Conseguiria viver no mundo atual? Eu não estou dormindo, mas tem muita gente que está. Pessoas que não têm qualquer reação aos estímulos e aparentemente não existem mais.

Ontem (esta história foi primeiro publicada em 2006) meu pai e meu irmão assistiram um filme muito bonito, com Robin Williams e Robert De Niro. O nome é "Tempo de Despertar", "Awakeings" no original, baseado no livro de Oliver Sacks que se baseou em um caso real. O médico da história experimenta um novo medicamento e consegue trazer de volta pessoas que estavam há anos em estado vegetativo.

Infelizmente os resultados do remédio duram pouco tempo, mas o suficiente para o médico descobrir que, atrás daqueles corpos aparentemente vazios, continuava a existir seres humanos completos, com sentimentos, alegrias e paixões. É muito estranho.

Quantas pessoas você vê por aí em coma ou em um estado assim? Ou pessoas com problemas severos de coordenação motora, que ficam esticando os braços, se contorcendo, fazendo sons estranhos e babando. Sabe quantas dessas pessoas são realmente pessoas? Todas elas. O problema está só na embalagem. Por dentro elas são novas em folha, quero dizer, o software funciona direitinho, mas o hardware veio com defeito.

Meu avô foi morar no céu em 1998, mas antes disso ele ficou quase 4 anos em uma cama ou cadeira de rodas vítima de derrame. Quando teve o derrame, que destruiu metade de seu cérebro, ele entrou em coma e o médico disse que iria ficar assim até morrer. Alguns meses depois minha avó estava ao lado dele na UTI do Hospital da Unicamp em Campinas, orando e querendo que acordasse. Então ela sentiu vontade de cantar, e soltou a voz ali mesmo (só para você ter uma ideia, a voz de meu pai ele puxou da soma dos graves de meu pai e de minha mãe!), entre os "bips", "zunzuns" e "tique-taques" dos aparelhos, e cantou o hino que meu avô gostava:

"Glória pra sempre ao Cordeiro de Deus, A Jesus, o Senhor, ao Leão de Judá, Que venceu e o livro abrirá.

Os céus, a terra e o mar, E tudo o que neles há, O adorarão, e juntos confessarão, Que Cristo é o Senhor"

Diante dos olhos arregalados de médicos, enfermeiras, pacientes e acompanhantes, quem arregalou os olhos foi meu avô, acordando após meses em coma. E ficou assim, acordado, conversando, rindo e chorando, numa cama ou na cadeira de rodas, por quase quatro anos. Vovô esteve quietinho todos aqueles meses em coma. Mas a gente descobriu depois que ele sempre esteve ali.


Vovô Mario Persona Sr. com os netos Lia e Lucas





Postagens populares