25/02/2012

Bolo de primeira viagem

Meu pai já fez muitas coisas na vida, mas hoje ele acordou teimando que nunca tinha feito um bolo. Bem, se você levar em conta a péssima memória de meu pai, ele pode até ter trabalhado em confeitaria e não se lembrar. Eu fiz de conta que acreditei que este seria seu bolo de primeira viagem e fiquei na minha.


Como o meu pai acha que com acesso à Internet ele é capaz até de fazer chover, lá foi ele ao Google procurar uma receita de bolo de chocolate (o único que ele gosta) que não fosse difícil. "Bolo de Chocolate de Liquidificador". Era tudo o que ele precisava. Ou quase tudo.

Mas se você acha que meu pai é desses que seguem receitas, está enganado. Ele não lê manual de coisa alguma porque sempre acha que pode descobrir funções que nem o fabricante imaginou. Com a receita do bolo a história foi parecida: ele leu mas não obedeceu.

Pra começar a receita era de um bolo com cobertura, coisa que meu pai detesta. Então de uma tacada só ele eliminou a cobertura e foi mudando a receita por achar que a roda poderia ser reinventada de outra maneira. No site a receita estava assim:

1 xícara(s) (chá) de leite morno(a)
3 unidade(s) de ovo
4 colher(es) (sopa) de margarina derretida(s)
2 xícara(s) (chá) de açúcar
1 xícara(s) (chá) de chocolate em pó
2 xícara(s) (chá) de farinha de trigo
1 colher(es) (sopa) de fermento químico em pó

A primeira dificuldade veio na escolha da xícara. Como alguém que toma chá e café em caneca vai saber o que é uma xícara de chá? Ele pegou uma maior que a de café e menor que a caneca e apostou que era aquela. Mas para não ser igual a todo mundo, mediu o tanto de água que cabia na xícara e despejou numa pequena tigelinha para ver se tinha a mesma capacidade. Tinha. Então na receita acima troque "xícara" por "tigelinha".

O leite ele colocou a medida correta até perceber que tinha ficado um pouco na embalagem. Então foi o restinho e mais um golinho de leite de soja Ades que meu pai achou que poderia dar um sabor exótico à massa. Os ovos foram conforme a receita, porém ficou a dúvida se era [A] só a gema, [B] só a clara, [C] clara e gema, ou [D], clara, gema e casca. Apostou na opção [C], pois [D] iria ficar muito crocante.

Ele achou demais 4 colheres de margarina, então colocou só três. Mas para equilibrar a quantidade acrescentou uma colher de sopa de manteiga de "Crunchy Original Peanut Butter" marca Peter Pan. Agora o bolo já tinha virado "Bolo de Chocolate e Amendoim de Liquidificador da Terra do Nunca".

O açúcar meu pai usou mascavo e o chocolate em pó foi um que ele ganhou de minha irmã: "Dagoba Organic Chocolate". Chique, né? Agora já podia até acrescentar "Orgânico" no nome. Ah! Ele colocou duas tigelinhas de chocolate ao invés de uma. Meu pai gosta de bolo forte. Como não podia ser diferente, ele inovou também na farinha: uma tigelinha de trigo comum e uma de trigo integral.

Então, com tudo colocado no liquidificador, faltava só o fermento químico. E foi isso mesmo que aconteceu: FALTAVA O FERMENTO QUÍMICO! Como foi que meu pai não conferiu se tinha fermento antes de começar a quebrar os ovos e a derreter a margarina?! Sabe como ele ficou quando percebeu a mancada? Rindo! Isso mesmo, meu pai ri de si mesmo quando faz besteira. Já dá para imaginar que a vida dele é uma comédia. Ele ri o tempo todo!

Ao invés de pedir ajuda aos universitários, ele vasculhou o que ainda resta de sua memória e encontrou lá no fundo uma aula do "seu Wilson", o professor de química do colegial, que ensinava que fermento químico era feito de bicarbonato de sódio. Ainda bem que tinha bicarbonato, porque a próxima opção de meu pai seria usar Sonrisal, que também é feito de bicarbonato.

Forma untada -- e aqui abro uma pausa para homenagear este verbo tão pouco homenageado que é o verbo "untar". Por sofrer de ictiose de nascença por um problema genético, sou untado todos os dias com creme após o banho. Meu pai diz que sou "cremado", mas o correto é "untado', e gosto do verbo. Veja que sonoridade existe em dizer "eu unto, tu untas, ele unta, nós untamos, vós untais, eles untam"! E que cacófato engraçado ocorre quando você diz "unta tu"! O plural deve ser "dois tatus", "três tatus" etc.

Ok, fim da aula de verbos. Como eu dizia, forma untada, só faltava colocar "por cerca de 40 minutos em forno médio (180ºC)". Mas o que é um forno médio? O que temos em casa é do mesmo tamanho de qualquer outro. Como saber se está a 180 graus sem o termômetro de plástico da escrivaninha derreter dentro dele? Essa gente que faz receita devia pensar nos ignorantes culinários como meu pai e explicar melhor isso.

É como em restaurante, quando o garçom pergunta se você quer o filé é mal passado, ao ponto ou bem passado. Ele pergunta por perguntar, porque na prática o cozinheiro vai jogar o filé lá e esquecer enquanto prepara trocentos pratos ao mesmo tempo. Então quando o garçom perguntar, responda "malemá", "assim-assim", "mais ou menos", "meia boca", "al dente" ou qualquer coisa, porque não vai fazer diferença.

Meu pai colocou a forma no forno, regulou o "dial" onde achou melhor e esperou até começar a sentir cheiro de queimado. Era o sinal de que estava pronto. Mas antes disso veio o arrependimento por ter se esquecido de acrescentar um pouco do licor de cacau de Ilhéus que ganhou de meu cunhado. Quer dizer, ganhou por acidente. Meu cunhado tinha comprado duas garrafinhas e na viagem uma quebrou dentro da mala arruinando algumas roupas. De raiva ele deu a que sobrou para meu pai. Você chamaria isso de presente?

Agora veja como o bolo ficou! Gostou? E como iria gostar se não experimentou, não é mesmo? Eu também ainda não experimentei, nem meu pai. Ele cortou, tirou a foto, e o bolo continua lá esperando por alguém com coragem suficiente para provar.


"Bolo de Chocolate Orgânico e Amendoim de Liquidificador da Terra do Nunca"


1 tigelinha mais um restinho de leite morno
1 gole de leite de soja Ades
3 ovos
3 colheres de sopa de margarina derretida
1 colher de sopa de manteiga de amendoim crocante Peter Pan
2 tigelinhas de açúcar mascavo
2 tigelinhas de chocolate em pó orgânico Dagoba
1 tigelinha de farinha de trigo integral
1 tigelinha de farinha de trigo comum
1 colher(es) (sopa) de fermento químico em pó
1 tigelinha de licor de chocolate de Ilhéus (só para lembrar)

P.S. O bolo ficou com gosto de bicarbonato e nem um pouco doce. Agora meu pai está comendo com geleia para compensar -- muita geleia em pouco bolo. Tenho a impressão de que esse bolo vai durar um bocado ou então vai servir para mandar visita embora.

6 comentários:

Welcome to SipMom disse...

Continue escrevendo receitas de grandes negocios!

Wellington disse...

Mas q ficou bonito ficou, como diz o mundo: "aparencia é tudo" hahahahaha

Robson Alves de Lima disse...

Como foi difícil não dar gargalhadas em casa com este trecho tão gosotoso de se ler! Com certeza, este relato foi exurantemente mais apetitoso do que o famoso bolo que o Persona fez... Parab´nes!

Danicisotto disse...

Daniella
Acho que vou tentar fazer essa sua receita Mário.
abraço

Leandro Martins disse...

Show!

Anjo Dark disse...

Bom dia
Alguem sabe como tirar o gosto de bicabornato do bolo?

Postagens populares