08/08/2013

O caso da fralda invertida

Se você leu a história desde o começo (Clique aqui se não leu) já sabe que meu pai é inventor de invenções mambembes, tipo minha cama de chão e o "sensor de movimento" feito com copo descartável. Mas é assim que deve ser: quem cuida de deficientes precisa estar atento às possibilidades de melhorar a vida do deficiente e do cuidador. E é aí que entra o "defletor de urina" que meu pai inventou. Mas antes quero falar da fralda descartável.

Teve uma empregada aqui que teimou que meu pai estava errado no jeito de colocar minha fralda descartável. Ela insistia que o adesivo devia ficar na parte da frente, onde fica minha barriga, e não nas costas, onde fica minha poupança. A empregada não durou uma semana no emprego, mas foi por outras razões. Sim, todo mundo está careca de saber que o adesivo da fralda é feito para colar e fechar na frente, na barriga, como se faz com qualquer bebê. Por que meu pai faz invertido? Porque eu não sou bebê e meu pai já não consegue me carregar e levantar "perninhas" e "bumbunzinho" como se faz com o bebê na hora de trocar a fralda.

As posições mais práticas para colocar fralda em mim é quando estou de pé, segurando numa barra na parede ou na pia, e quando estou de quatro no chão, depois de ter descido da poltrona ou do vaso sanitário. Colar o adesivo na frente nestas posições é mais complicado. Olhando a imagem abaixo e fazendo de conta que "esse cara sou eu", veja onde são colocados os adesivos da fralda que é vestida ao contrário (quando digo "ao contrário" não vá achar que é com o absorvente para o lado de fora, tá?).


Na minha opinião esta técnica funciona muito bem e ninguém nunca confundiu, pensando que estava indo quando estava voltando, só por estar com a fralda ao contrário.

Mais uma vez eu comecei falando do palito e divaguei para falar da caixa. Prometo que na próxima eu falo da última invenção do meu pai. Enquanto isso, por que você não observa o modo como faz as coisas em sua casa para cuidar de pessoas enfermas ou com deficiências? Não é porque algo foi fabricado com uma intenção, ou todo mundo faz algo da mesma maneira que esse algo precise ser feito assim. Já viu pessoas sem pernas ou com pernas atrofiadas se movimentando pelas calçadas com skate? Skate não foi feito para isso e existem cadeiras de rodas fabricadas com esta finalidade, mas tem gente que acha muito mais fácil e ágil se movimentar de skate. Então que faça assim!

Não tem gente que passa ovos no cabelo, coloca rodelas de pepino nos olhos ou usa prendedor de roupas para fechar pacotes? Ovo é para fazer pintinho ou omelete, pepino é para a salada e prendedor para as roupas. E daí? Criatividade, meu caro! Não tem gente que cria um milhão de utensílios com garrafa PET que foi feita para guardar refrigerante? Pois é, coloque a cabeça para pensar em como facilitar sua vida e do deficiente mudando o modo de utilizar as coisas e descobrindo novas maneiras de criar mobilidade.

Pois no caso da invenção de meu pai, o "defletor de urina" (cá entre nós, invenção nada, pirataria pura, porque ele até encomendou um e não chegou ainda) foi feito com uma garrafa de plástico de guardar água. Não, não se preocupe, não tem perigo de confundir e trocar com a que fica na geladeira.

4 comentários:

Rô Cunha disse...

Sei exatamente a dificuldade em trocar a fralda dessas "crianças"...rs...meu filho tem 15 anos e quando saímos eu peno para a troca...mas vc me mostrou um caminho!!! "O" caminho....fraldas invertidas...hj mesmo vou tentar a novidade. Ler seu blog me ensina isso e muito mais.

Relaxa ASMR disse...

Ola, tenho uma duvida qnto a fralda invertida...
pela anatomia da fralda, tem a parte da frente e a de tras, certo? de colocar invertida, e por acaso se fizer coco, como a parte de traz é mais curta, ela nao iria parar tudo na parte da frente? Podendo entao causar infecção urinaria??

Mario Persona disse...

O Pedro usa BigFral que aparentemente tem os dois lados iguais, por isso não vejo problema em colocar invertida. De qualquer modo ele nunca faz coco na fralda e só usa fralda para dormir ou sair de casa. Ele aprendeu a se controlar (às vezes escapa...) e vai engatinhando ao banheiro para as necessidades.

Eci Meira disse...

Muito 1000!

Postagens populares