05/07/2010

Dia dos paes

Não é dia dos pães de padeiro não. É dia dos pães, e vou explicar que pães são esses. Tem Dia dos Namorados, Dia dos Pais, Dia das Mães, Dia das Crianças, Dia do Professor, Dia do Médico, Dia do Aviador, Dia do Dentista, Dia do Músico, Dia das Bruxas. Puxa! Tem até Dia das Bruxas e não tem Dia dos Pães? Pois então acabo de decretar o Dia dos Pães!

Por favor, não confunda com o Dia do Padeiro, que é 8 de Julho. Nem também com o dia de artistas bonitos, que as mulheres chamam de "pães". Estou falando do Dia dos Pães, daqueles que são pais e mães. Sim, uma espécie de clone que acabou surgindo com o grande número de separações de casais, mães solteiras e pais solteiros – não estou falando de Schwarzenegger que fica grávido no filme "Júnior", mas de pais por adoção.

Além disso, existe por aí um batalhão de avós, tios, cunhados, primos, irmãos e amigos que acabam assumindo o papel de pai ou mães- o papel de "Pães" - quando os pais originais morrem ou são incapazes de criar seus próprios filhos. Isso sem falar naqueles homens que simplesmente abandonam a mulher com o filho na barriga ou já fora dela. Resultado? 65% dos adolescentes em reformatórios vêm de famílias em que o pai abandonou o lar ou fez o filho de longe.

Até o presidente Lula sabe bem o que é crescer em um lar onde a mulher é o pai de família, ou "pãe" de família. Em um discurso como nunca antes na história deste país em homenagem às mulheres, ele disse:

"Sou filho de uma mulher que nasceu analfabeta, que teve 12 filhos, morreu analfabeta, mas na primeira tentativa de violência contra ela – feita pelo seu marido - rompeu com ele, foi viver sozinha e provou que quando a mulher tem garra, determinação, ela não tem que ficar dependendo de uma pessoa que, às vezes, ao invés de ajudar, atrapalha"

É claro que todo mundo tem mãe que nasceu analfabeta - tudo bem, Sr. Presidente, foi um lapso - mas o mais importante aqui foi mostrar que ele também sabe o que é viver em um lar desfeito e ver a mãe ter que bater escanteio e cabecear para o gol ao mesmo tempo em que apita o jogo.

Isso sem falar nos pais que vivem com os filhos e nem sabem o nome deles. Lembra daqueles garotos nos Estados Unidos que mataram um monte de colegas na escola Columbine High School e os pais nem sabiam que eles tinham no quarto um arsenal digno de uma tropa de elite? Pois é, pais presentes que vivem ausentes porque têm coisas mais importantes para se preocupar do que os próprios filhos...

Bom, a realidade é esta. Parece que hoje há mais de 11 milhões, só de mulheres sós, que tocam a casa e os filhos, muitas porque tiveram o marido tocado de casa – como a mãe do presidente – ou porque o pai nem se tocou com os filhos. Se juntar a isso o número de casais separados, pais e mães solteiros... Puxa! Acho que é hora de arranjar um Dia dos Pães! Mas, por favor, que não seja mais um feriado, ou este país pára de vez.

Um comentário:

Débora Cristina disse...

Artistas bonitos que as mulheres chamam de pães, essa é boa!! gostei muito dessa ideia, fui criada pelo meus pais mas existe muitos pães em minha família e quem mais admiro é a minha sogra, ela é a maior pãe que já conheci. Ela é deficiente mas nada a empediu de cria só os seus filhos a ainda adotou + um e fez um bom trabalho. Vamos comemorar sim esse dia só resta saber qual dia será.

Postagens populares